FALE COM REV. ELTON AMÉRICO - elton.americo@globo.com

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O Perdão nos traz de volta para casa! - Sl 32

Coxim-MS: Existe um programa de televisão que tem como um de seus quadros principais um quadro com o nome: "De volta para a minha casa". A intenção do programa é encontrar pessoas que deixaram a muito tempo a sua terra natal e, que não tem condições de poder voltar. Assim, o programa oferece para a pessoa muito mais que apenas a passagem de volta para casa, mas, oferece-se também a pessoa a oportunidade de recomeço diante de amigos e parentes que antes haviam ficado apenas na lembrança. Devolve-se para a pessoa sua identidade, sua história e a sua felicidade.

 "De volta para minha casa!". Esse é o tema que podemos também encontrar no Salmo 32. Um tema que nos convida a refletirmos profundamente sobre a nossa vida, nosso pecado a luz do perdão e do amor que Deus nos oferece.

1º Parte: O pecado nos faz sair do nosso lar e caminharmos em terras estranhas.

O rei Davi começa o Salmo 32 de uma maneira muito bonita: "Bem aventurado (feliz) aquele cuja iniquidade (maldade) é perdoada, cujo pecado é coberto" (Sl 32.1). Com essas palavras o rei Davi aponta para duas realidades presentes em nossas vidas: 1. A realidade daquele que tem a consciência ferida e pesada por causa do seu pecado; 2. A felicidade que o perdão traz.
O rei Davi sabe muito bem o que uma consciência ferida pelo pecado pode causar no ser humano. Mais ainda, como o calar-se (ocultar, esconder) o pecado pode trazer sobre a pessoa um estado de profunda tristeza e infelicidade. Ele mesmo experimentou essa tristeza e infelicidade quando tentou esconder de Deus o seu adultério com Bate-Sebá e a morte de Urias.
A maior infelicidade e tristeza que o pecado pode causar em nossa vida é colocar-no em dúvidas se Deus continua presente ao nosso lado, pronto para nos acolher novamente ou se Deus nos rejeita por causa do nosso pecado. É dessa maneira que o pecado atinge seu objetivo e, nos afasta de Deus, da sua presença, nos fazendo ter dúvidas sobre Deus e o seu amor. E, enquanto estamos em dúvidas, caminhamos por um caminho cujo qual, Deus não deseja que caminhemos. Um caminho que faz com que tenhamos medo de Deus e do seu juízo.
Esse foi o sentimento experimentado por Adão e Eva quando foram tentados pela serpente e deixaram-se enganar. A sua consciência logo os acusou e os fizeram se esconder de Deus: "Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus, o homem e a sua mulher" ( Gn 3.8); " E chamou o Senhor Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? Ele respondeu: ouvi tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi." (Gn 3.9-10). Tiveram também Adão e Eva dúvidas se Deus poderia ou não perdoá-los. E essa dúvida fez com que tivessem medo de Deus e se escondesse Dele.
Essa é a conseqüência do pecado em nossa vida. Conseqüência que também o grande rei Davi sentiu: Medo de Deus e do seu Juízo.
A conseqüência do nosso pecado é sem dúvida nenhuma o juízo de Deus. Juízo que fez com que Adão e Eva fossem "lançados fora do Jardim do Éden" (Gn 3.23). Juízo que fez com que o Rei Davi caminhasse longe da graça e da misericórdia de Deus: "Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo dia, porque a tua mão pesava contra mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio" (Sl 32.3-4). Juízo que faz com que nós tenhamos medo de Deus e vivamos nos escondendo Dele. Esconder-se de Deus é viver longe de Deus. Viver longe de Deus é viver "longe de casa".

2º Parte - O Perdão nos traz de volta para casa!

Se, o pecado nos traz essa tristeza e infelicidade de vivermos "longe de casa", o rei Davi aponta agora para a "felicidade" que o Perdão de Deus traz para as pessoas que confessam os seus pecados a Deus. Ele, o Perdão, "nos traz de volta para casa".
Assim como naquele programa de televisão, a pessoa não tem como sozinho retornar para a sua casa, dependendo de uma ação que venha de fora dela, de outra pessoa, nesse caso o programa, assim também nós não temos forças para sozinhos retornarmos a Deus, necessitando de uma ação que venha de fora de nós, de outra "PESSOA". E essa ação vem! Ela vem na pessoa de Jesus Cristo o qual, assume os nossos pecados cumprindo a "Lei" em nossa lugar, como vemos na tentação de Jesus (Mt 4.1-11). É por meio dessa obra de Jesus, de assumir a nossa culpa e o nosso pecado que Ele oferece para nós o Perdão que nos reconcilia (faz as pazes) com Deus e nos torna de inimigos em amigos de Deus novamente.
Essa é a esperança que brota do coração do rei Davi: a certeza de que a força para alcançar o Perdão de seus pecados não estava nele mesmo. Pelo contrário, enquanto escondeu o seu pecado de Deus e tentou viver como se nada tivesse acontecido o mesmo, lhe tirava a alegria de viver. Mas, agora, Davi reconhece que essa "força" esta em Deus o qual, por meio do Profeta Natã vem ao seu encontro para lhe oferecer a oportunidade de reconhecer os seus pecados e confessá-los diante de Deus. É diante dessa oportunidade que Deus ofereceu a Davi que ele pode então, em um suspiro de alívio, dizer: "Confessei-te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado." (Sl 32.5).
Essa oportunidade continua sendo oferecida ainda hoje a cada um de nós. Deus continua nos convidando para nos achegarmos a Ele e colocar diante da sua presença todos os nossos pecados, até mesmo o pior de todos eles, aquele que nos envergonha e nos faz ter medo de Deus. E Deus nos faz a promessa de que nos acolherás, assim como acolheu ao pecador Davi, e no oferecerá o seu PERDÃO. "Perdão" aqui significa que Deus não leva mais em conta o nosso pecado, não olha mais para eles, como nos mostra o Salmo com os termos: A maldade (iniqüidade) é perdoada; cujos pecados são cobertos, etc. Mas, que Deus olha para Jesus e em Jesus nos acolhe e perdoa.
O apóstolo Pedro nos coloca essa realidade quando escreve: "Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus" (1 Pe 3.8); Paulo também nos mostra essa graça de Deus ao escrever: "Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos" (Rm 8.19).
É diante desse Perdão que nós somos conduzidos "de volta para casa" e, temos a oportunidade de um recomeço já aqui nesse mundo diante das pessoas que nos cercam (amigos, parentes, etc.). Temos devolvidos a nós a nossa "identidade" de filhos de Deus, a nossa história diante da sua salvação e também a felicidade de que em Cristo temos de fato nossas consciências aliviadas e a certeza da presença de Deus ao nosso lado mesmo sendo nós ainda pecadores.

Conclusão:

"De volta para a minha casa!", esse é o tema da vida de cada um de nós diante desse período da quaresma. Esse é o caminho que o PERDÃO que Deus nos oferece em Cristo nos guia. E, é nesse "LAR", onde Jesus foi preparar um quarto para nós (Jo 14.3 NTLH), que o perdão nos faz caminhar, que Deus nos acolhe, nos integra em seu reino e nos diz: "OS TEUS PECADOS ESTÃO PERDOADOS". Amém.

Pastor Elton Americo
PEL Paz Coxim-MS

sábado, 16 de fevereiro de 2013

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Jesus perante o Sinédrio: Uma Lição de Amor


Coxim-MS -  Mc 14.43-65 - Estamos chegando novamente no período da quaresma. A quaresma inicia-se com a Quarta-Feira de Cinzas e é um período muito importante no ciclo da igreja, pois, suas ênfases são o arrependimento e o preparo para a celebração da festa da Páscoa: a Ressurreição de Jesus. 

Nesse período, somos guiados por meio das leituras bíblias, pelo caminho da cruz, o caminho do sofrimento e morte de Jesus, o caminho que nos traz vida.Quando refletimos nos textos desse período, podemos perceber algo muito importante que Deus está comunicando a nós. Podemos perceber uma grande lição de amor ao qual Deus está nos comunicando. 
Que bela lição de amor encontramos também no texto bíblico a pouco lido, nesse evangelho da Paixão. Jesus colocando-se no lugar do pecador, assumindo sua culpa, sendo julgado injustamente e condenado a morte, para poder nos transmitir vida.

  1º Lição de Amor: Jesus se coloca no lugar do pecador, assumindo sua culpa!

O profeta Isaías nos lembra bem essa primeira lição de amor ao dizer: "ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados". Que bela lição de amor! Tomar as nossas enfermidades, as nossas dores. Assumir a culpa pela nossa maldade. Essa é a primeira lição de amor que Jesus nos dá. E tudo isso ele faz para que nós pudéssemos ter paz e perdão. 

Essa lição de amor o ser humano não consegue produzir. Não consegue, porque está limitado frente ao seu pecado. Poderíamos nós nos doar em favor de outra pessoa e até mesmo sair em defesa dela, se julgássemos ser essa pessoa merecedora desse cuidado. Defender uma pessoa que julgamos culpado está fora do nosso alcance. A justiça de Deus, no entanto, age de forma diferente da justiça humana. Ela não só sai em defesa do pecador, do enfermo, do abatido, do excluído, mas se coloca no lugar deles, assumindo a sua culpa, oferecendo a essas pessoas consolo, amparo, alívio para as suas pesadas cargas, perdão e descanso. 
Essa justiça de Deus está presente no Salvador Jesus, que se colocou no lugar de todos os pecadores, assumindo a culpa e sendo preso em nosso lugar, oferecendo a todos os pecadores e necessitados dos cuidados de Deus o amparo e a vida que vem do alto.

  2º Lição de Amor - Jesus é julgado injustamente e condenado a morte! 

Jesus não somente se coloca no lugar do pecador, assumindo sua culpa e sendo preso em seu lugar, mas ele é também julgado e recebe o veredito que caberia aos pecadores: a condenação e a morte.

E quais as acusações feitas contra Jesus? Acolher os doentes, comer com pecadores, ensinar sobre o amor de Deus e o principal de todos, declarar ser Ele o Cristo, o Messias enviado por Deus para trazer paz ao mundo: "Tornou a interrogá-lo o Sumo Sacerdote e lhe disse: És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito? Jesus respondeu: Eu sou..." (Mc 14.61). Eu sou, aquele que esteve convosco todos os dias ensinando no templo, convidando o povo para o arrependimento e uma vida sob os cuidados de Deus. Eu sou, esse que vocês saíram com porretes, cacetes e soldados para prenderem como um ladrão. De fato, Eu sou o Cristo, o Filho do Deus Bendito que veio para trazer ao povo a oportunidade de salvação e cuidados. 

Que bela confissão de Jesus! Que bela lição de amor! Sabia onde sua confissão o levaria, sabia que seria condenado e morto, mas por amor a nós não negou, mas afirmou: Eu sou. Mais uma vez a loucura da cruz se faz presente no julgamento de Jesus. Ele foi condenado, maltratado e ultrajado sendo ele mesmo inocente de todas as acusações. O julgamento de Jesus e a sua condenação, no entanto, tem um propósito em si: Pagar pela culpa dos pecados de toda a humanidade. 

Por isso Jesus aceita a sua missão e como um cordeiro manso que é levado para ser morto, assim Jesus vai caminhando rumo a cruz. E o seu julgamento faz parte dessa caminhada, como nos coloca o próprio Salvador: "Saíste com espada e porretes para prender-me, como um salteador? Todos os dias eu estava convosco no templo, ensinando, e não me prendeste; contudo, é para que se cumpram as Escrituras." (Mc 14.48-49)."Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro" (Is 53.7)

3º Lição de Amor: Jesus nos transmite vida!

Todo sofrimento de Jesus tinha em vista oferecer a todas as pessoas a oportunidade de uma nova vidaAssim, Jesus aceita seu destino, é preso, julgado, abandonado pelos seus e condenado. O estandarte que Jesus levantou durante todo o seu ministério enquanto esteve com o povo foi: "Transmitir-lhes vida!" Ao ir ao encontro dos doentes, dos famintos, dos desamparados, dos excluídos Jesus dava-lhes mais que cura física, o pão e o abraço. Jesus oferecia a todas as pessoas aquilo que sua própria religião havia tirado deles; a liberdade. E liberdade para esse povo significava vida. Significava serem acolhidos novamente por Deus e term a certeza do seu amor, do seu carinho, do seu perdão e da sua salvação. Sentiam-se abraçadas novamente por Deus, no cuidado e amor que Jesus lhes transmitia. 

Para o povo, esse cuidado de Jesus por eles representava um levantar-se dos escombros de suas vidas de abandono e exclusão para uma vida de amparo e amor. Amparo e amor que Deus estava lhes oferecendo. E dentro desse cuidado estava sem dúvida o perdão e a certeza de estarem sendo incluídos no Reino de Deus. Esse mesmo cuidado que Jesus ofereceu ao povo Ele também oferece a cada um de nós. Jesus quer cuidar de nós, nos levantar dos escombros de nossas vidas de dor, sofrimento, abandono frente a nossa fraqueza e pecado e nos oferecer o perdão, consolo, amparo, carinho e o amor de Deus. 

E, é nesse cuidado que Jesus nos transmite vida, uma vida em seu Reino. Para que essa vida que Jesus ofereceu ao povo e oferece a nós também se torne completa, ele precisa passar pela cruz. É lá na cruz, onde Jesus ofereceu a sua vida, que nós encontramos a vida que Jesus nos oferece. Esse é o caminho da quaresma, que iniciou-se com a Quarta-feira de Cinzas. Esse é o resumo da lição de amor que o Pai celeste preparou para nós: Vida! Vida diante da presença de Deus, mesmo sendo nós ainda pecadores. Conclusão:Que bela lição de amor! Jesus assumiu a nossa culpa, pagou pelos nossos pecados, foi julgado e condenado em nosso lugar, e na sua morte nos transmitiu vida. Vida eterna em seu Reino e sob os seus braços de Amor. Amém. 

Pastor Elton Americo 
PEL Paz Coxim-MS

Congresso de Jovens DIMASUL - 2013

Coxim-MS - Ocorreu no último final de semana, dos dias 09 à 12 de fevereiro de 2013,o 30º Congresso de Jovens do Distrito DIMASUL. Com aproximadamente 197 jovens inscritos, o Congresso ultrapassou a marca de 200 pessoas entre inscritos, crianças, adultos e visitantes. Com o tema "Liberdade com responsabilidade", baseado no livro de Gálatas, o Congresso esteve recheado com a Palavra de Deus, tanto na ótima Palestra do Rev. Jonas Feil Pause, bem como nas inspiradoras oficinas. O Congresso ainda teve momentos de muito louvor, esportes, cultura com teatro, poemas, música. resumindo: Foi muito bom! Pastor Elton Americo PEL Paz Coxim-MS