FALE COM REV. ELTON AMÉRICO - elton.americo@globo.com

terça-feira, 15 de novembro de 2016

terça-feira, 8 de novembro de 2016

quarta-feira, 9 de julho de 2014

A Oração de Jesus: Um ato de amor e compaixão - Jo 17.1-11

Coxim - MS: Diz um ditado popular que os olhos são o espelho da alma. Com isso se quer dizer que, pelos olhos nós permitimos que todos os nossos sentimentos sejam expressos. Isso é verdadeiro. Sabemos quando uma pessoa está feliz, alegre, triste, cansado, abatido olhando apenas em seus olhos. Podemos até tentar esconder os nossos sentimentos das outras pessoas não falando a elas o que estamos sentindo ou até mesmo tentar disfarçar os nossos sentimentos, mas quando somos olhado nos olhos ali está o reflexo da nossa alma sendo transparecido para fora por meio de nossos olhos.
No texto do Evangelho acima vemos Jesus erguendo os olhos aos céus, para Deus, deixando transparecer para o Pai os sentimentos que estão dentro do seu coração. O sentimento de amor e de compaixão que Jesus tem por cada pessoa neste mundo. E, unido ao olhar amoroso e compassivo de Jesus está a sua oração por cada um de nós.
Em sua oração Jesus pede duas coisas que são muito importantes para a nossa vida aqui neste mundo e no nosso relacionamento com Deus: 1. Jesus ora pedindo que o Pai revele a glória do Filho (Jesus); 2. Jesus ora por seus discípulos pedindo proteção para eles. 
Podemos afirmar que na oração de Jesus e em seus olhos de amor passado, presente e futuro se encontram e a graça de Deus se manifesta a todos em todos os tempos.
1º Parte - Jesus ora pedindo que o Pai revele a glória  do Filho! - "Pai, chegou a hora. Revela a natureza divina de teu Filho a fim de que ele revele a tua natureza gloriosa" (Jo 17.1).
Ao pedir que a glória do Filho seja revelada, Jesus sabe que a própria glória do Pai seria revelada por meio dele. Mas, que glória é essa?
Nos olhos de Jesus está a compaixão pelo mundo perdido. Ao seu redor tudo o que ele vê é o sofrimento, a dor, a enfermidade de um povo que se acostumou a viver na escuridão, longe de Deus e de um relacionamento sincero com ele. O medo desse povo em se relacionar com Deus está expresso em sua condição de fraco, pecador e perdido. Conhecem apenas o Deus justo que os julga por causa de seus pecados. Diante dessa realidade, o Deus justo significa também o Deus que julga. Manifestar a sua glória seria o mesmo que manifestar o seu juízo no meio do povo.
Com seus olhos de compaixão Jesus traz um novo sentido para a expressão da manifestação da glória de Deus. Manifestar a Glória de Deus, em Jesus, significa manifestar o amor, a bondade e o cuidado de Deus para como seu povo. E, essa "GLÓRIA" estava agora presente em Jesus e na sua maneira de se relacionar com o povo. Como disse Phillip Yancey, escritor cristão: "Jesus virou de cabeça para baixo a sabedoria aprovada do seu tempo". Ele trouxe para o povo enfermo, perdido e condenado a misericórdia inclusiva de Deus. E, nessa misericórdia, que cuida, consola e perdoa a glória de Deus se manifesta. E, ao se manifestar revela também a vida eterna.
Mas, qual a maneira que Deus escolheu para manifestar a sua glória por meio de Jesus ao mundo? Por meio do conhecimento de seu Filho. Conhecimento de sua obra, do caminho da cruz. É, na cruz, que Deus escolheu para manifestar o seu amor, perdão e graça a todas as pessoas, ao mundo. 
Diferente do que ouvimos hoje em dia, onde se ensina um relacionamento com Deus baseado na "vitória pessoal", na "prosperidade", nos "milagres", na "ausência de problemas", Deus escolheu a loucura da cruz para relacionar-se conosco.
Mas, porque Deus escolheu este caminho, a cruz, para manifestar o seu amor por nós, para manifestar a sua glória? Meus amados irmãos e irmãs, se o nosso relacionamento com Deus estiver baseado na "vitoria pessoal", na "prosperidade financeira", etc., então temos um relacionamento limitado com Deus. Como disse certa vez um pastor: "Se o meu relacionamento com Deus depende destas coisas então eu tenho um Deus fraco e limitado que não pode me ajudar quando preciso". 
Enquanto estas coisas vão bem o nosso relacionamento com Deus também irá bem, mas, quando os problemas começarem a aparecer, quando o sofrimento nos sobrevier, quando nos sentirmos derrotados, abatidos, etc., então o nosso relacionamento com Deus ficará frustrado. Em vez de encontrarmos um Deus próximo de nós, encontraremos um Deus distante, que não tem preocupações para conosco. Então, chegaremos a conclusão que um "Deus assim" não nos serve.
Ao relacionar-se conosco por meio de Jesus, Deus vem a nós em meio a nossa pobreza, sofrimento e necessidade e nos revela a sua glória por meio do seu cuidado e amor. Vemos isso de maneira mais clara no relacionamento de Jesus com os necessitados de sua época; Quando um leproso veio até Jesus, ele foi embora limpo; quando uma mulher imoral lavou os pés de Jesus, ela foi embora perdoada e transformada. É nessa ação de Jesus em perdoar, acolher e tornar limpo que a glória de Deus se manifesta. E isto Jesus fez na cruz. Por isso, ao orar ao Pai, Jesus pede que nada impeça que essa glória seja manifestada e que nós possamos ser atingidos por essa glória e que a vida eterna nos alcance.
2º Parte - Jesus ora por seus discípulos pedindo proteção para eles - "Eu peço em favor deles..."
Jesus conhece o caminho daqueles que o aceitam em fé. Que ouvem a sua mensagem e que creem nela como a fonte para a vida eterna. Este caminho é o mesmo caminho que Jesus precisou caminhar. É o caminho da cruz. E nesse caminho o que está reservado para Jesus e seus discípulos é o sofrimento. Por isso Jesus adverte: "No mundo vocês vão sofrer, mas tende bom animo eu venci o mundo". Diante dessa realidade Jesus ora para que Deus possa guardar, proteger e guiar o seu povo. 
Encontramos nas palavras da oração de Jesus pelos seus discípulos duas realidades importantes para nós: 1. Eles pertencem a Deus; 2. Eles estão no mundo.
Como discípulos de Jesus, unidos pela fé, pertencemos a Deus. E, a promessa de Deus é de nunca nos desamparar. Temos nessas palavras de Jesus o mais sublime consolo que podemos encontrar em Deus. Mesmo que vivemos em um mundo egoísta, injusto e corrupto, temos a certeza de que a mão poderosa de Deus está conosco. E, é por meio desta proteção que podemos suportar os sofrimentos do mundo.
Jesus disse que seus discípulos seriam "Sal e Luz" no mundo, levando a Palavra da Verdade. O mundo não receberia essa Palavra com amor, mas com hostilidade. Assim o é ainda hoje. Muitos tornam a Palavra da Verdade, pura  e salvadora em mercadoria e mentira.
Uma frase no para-choque de um carro chama a nossa atenção para essa realidade: "Ter fé não significa que Deus vai fazer tudo o que você quer, mas é saber que Deus vai fazer o que é melhor para você".
Nesta frase vemos o triste contraste daquilo que o mundo espera de Deus e aquilo que de fato Deus oferece. O mundo que um Deus permissivo que aceite o seu pecado, as suas maldades,  a sua corrupção e injustiça. Um mundo que idolatra a riqueza, o poder e a imoralidade. Quando Deus, em sua Palavra se opõe a estas coisas, então Deus não serve.
A nossa fé precisa aprender a relacionar-se com um Deus que está sempre pronto para nos guardar, preservar e mantar na verdade: família, respeito, valores, etc. É nessas coisas que Deus vem a nós e faz o melhor para nós, mesmo que muitas vezes seja até o contrário do que esperamos. É diante dessa realidade contraditória entre o mundo e a vontade de Deus que precisamos ser preservados e guardados contra o mundo e na vontade de Deus.
A nossa fé nos une a Deus, nos tornam seu povo, sua igreja. E, Deus mantém a sua igreja unida e protegida contra o mundo por meio da PALAVRA E SACRAMENTOS. É na Palavra e sacramentos que o nome de Deus nos é revelado, nos somos unidos e encontramos a proteção que necessitamos. Isto está expresso no 1º Mandamento: "Eu sou o SENHOR teu Deus e não terás outros deuses diante de mim" - "Devemos temer e amar a Deus e confiar nele acima de todas as coisas".
Nos olhos de amor e compaixão de Jesus, sua oração pede por essa unidade, para o nosso bem, para a nossa preservação na vida eterna e par a nossa salvação.
Conclusão: "Os olhos são a janela da alma". Jesus abre as janelas de sua alma e revela o seu amor e a sua compaixão por nós ao orar ao Pai em nosso favor pedindo que a glória do seu amor, graça e compaixão revele-se a nós, nos acolha, proteja e una para guiar-nos em meio as trevas, tempestades e sofrimentos desse mundo rumo ao céu, o qual Jesus está preparando um lugar para nós. Amém.
Pastor Elton Americo
PEL Paz Coxim - MS

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

CRISTO NOS CHAMA PARA FAZERMOS A DIFERENÇA NO MUNDO - Mateus 5.13-20

Coxim - MS : Queridos irmãos e irmão e irmãs em Cristo Jesus,           
   Vocês já notaram como um gesto simples muitas vezes pode fazer a diferença no nosso dia. Um sorriso de alguém especial, o abraço de um filho, o carinho da mãe, o eu te amo do marido (esposa) torna-se muitas vezes, diante de todas as nossas preocupações, stress e dificuldades, naquilo que faz a diferença no dia-dia.
  Assim, por mais difícil que pareça ter sido o nosso dia, diante destes gestos de carinho e amor encontramos forças e coragem para continuarmos a nossa caminhada.
   Essa semana, preparando essa mensagem, eu pude presenciar e sentir como um simples gesto, muitas vezes rotineiro, pode nos ajudar e até nos transmitir uma rica mensagem de amor.
    Diante do texto do evangelho do dia, texto o qual havia escolhido para a mensagem, refletia de todas as maneiras o que esse texto queria nos dizer. Por mais conhecido e simples que esse texto fosse, parecia-me que a sua aplicação para a vida prática não passava do simples ato de “Testemunhar”, falar de Jesus.
   Pensei em varia formas de poder exemplificar qual a “missão da Igreja” diante do mundo e das pessoas que vivem no mundo. Como a igreja poderia “testemunhar” Jesus para as pessoas que não conheciam a Jesus?
  Confesso meus queridos irmãos, que não conseguia encontrar uma ilustração satisfatória. Não conseguia, porque estava olhando na direção errada. Olhava apenas para minha ação, e esqueci o que realmente faz a diferença, não somente no mundo, mas também na minha própria vida.
    Quando estava prestes a desistir desse texto, por não conseguir explicá-lo de uma maneira satisfatória, fui surpreendido por um gesto simples da minha filhinha, que me mostrou com seu sorriso carinhoso, qual o real sentido de ser “sal e luz” do mundo. Ser “sal e luz” no mundo é trazer alegria e consolo para os corações entristecidos e desesperançados. É colocar-se ao lado daquele que sofre, chora, que está desesperado e oferecer-lhes o amor de Deus.
    Um professor do seminário, quando nos preparava para a cadeira de liturgia, nos contou uma experiência que teve durante o seu ministério. Conta esse professor que havia uma família que a muito tempo não vinha mais aos cultos. O pastor já havia feito de tudo para poder trazer essa família novamente para o convívio com os irmãos na fé, no entanto, não havia alcançado nenhum resultado. Certo dia esse pastor recebeu a notícia que a Mãe dessa família, uma senhora de idade, veio a falecer. Então o pastor preparou um belo sermão, convidou o coral, os jovens e as servas para poderem cantar no velório, com o intuito de que por meio da mensagem e dos cânticos trouxesse essa família novamente para a igreja. Passado alguns dias, no culto de domingo aquela família apareceu na igreja, algo que começou a tornar-se constante. O pastor, querendo saber o que havia feito para que eles retomassem sua vida na igreja, foi até aquela família e perguntou o que havia feito que eles retornassem a igreja. Seria alguma coisa relacionada com o velório da “mãe”: a mensagem, o coral, os jovens, etc. A filha mais velha, com singeleza e sinceridade respondeu: Pastor estava tudo muito bonito no enterro (mensagem, cânticos). Mas preciso lhe dizer que não foi isso q      ue nos fez procurar a igreja novamente. O pastor surpreso perguntou o que havia sido então. E a moça respondeu: Quando nossa mãe morreu, durante o velório em casa, nós estávamos muito nervosos e não sabíamos o que fazer, então uma senhora, que não conhecíamos, entrou em casa, lavou a louça, limpou a cozinha, fez um café e serviu as pessoas que estavam ali presentes. Depois nos deu um abraço e disse; se precisar de mim, moro em frente, é só me chamar. Ela nos ajudou no momento em que mais precisávamos. Foi então que pudemos sentir o amor de Deus concretamente em meio ao nosso sofrimento. Descobri depois que ela era uma colega da minha mãe e que juntas elas vinham no grupo de senhoras da igreja.
   Quando Jesus diz aos seus discípulos “vós sois o sal da terra... e a luz do mundo”, Jesus de fato está convocando os discípulos para fazerem a diferença no mundo. No entanto, essa diferença não é apenas em palavras, mas é no viver. Jesus os chama a viverem a sua fé no mundo, de maneira que por meio de suas vidas, da certeza do perdão e da vida no reino de Deus, eles pudessem dar um “sabor diferente” ao mundo em que vivam.
    Enquanto a realidade a sua volta era de carência, sofrimento e desamparo, eles são chamados a oferecer a essa realidade (mundo) o consolo, o amparo, os cuidados e o amor de Deus. Consolo, amparo, cuidados e amor que eles próprios (discípulos) puderam encontrar em Jesus.
    Essas palavras de Jesus são direcionadas hoje para nós, a sua igreja. Assim, o “Vós sois o sal da terra... e a luz do mundo”, significa para nós também um chamado para vivermos a nossa fé diante da realidade que nos cerca. Uma realidade de carência, sofrimento, de violência, de abandono, etc. Jesus nos chama, assim como chamou os discípulos, a fazermos a diferença no mundo. Como? Com um gesto simples: com a nossa vida.
    Somos chamados, assim como os discípulos, para sermos “sal e luz” no lugar onde Deus nos colocou para servir: casa (pai, mãe, filhos), trabalho (bom empregado, bom patrão), no mundo (amor ao próximo). Lutero denomina esse chamado de vocação. É por meio dessas obras, as quais Deus preparou de antemão para que andássemos nelas (Ef. 2.10) que o mundo passa a conhecer o grande amor de Deus que quer acolhe-los e oferecer-lhes os seus cuidados em meio a sua realidade, a sua vida.
   Por meio do viver da nossa fé, damos o mais valioso testemunho de Cristo ao mundo, de maneira que aqueles que vêem e ouvem o nosso testemunho são agora guiado até Cristo e ali podem encontrar o que Cristo oferece: paz, perdão, alívio para as consciências pesadas por causa do pecado e nova vida. E agora, essas pessoas podem também entregar as suas vidas aos cuidados de Jesus, deixando que Jesus alivie suas dores, sofrimentos e enxugue dos seus olhos as suas lágrimas.
       Esse é o gesto simples que Jesus nos chama para realizarmos no mundo. Ele não está centrado no que podemos ou não fazer. Nem mesmo em capacidades especiais. Mas antes no viver o consolo e perdão que Jesus oferece para as nossas vidas. Essa é a mensagem que faz a diferença no mundo. Uma mensagem que começa no coração de Deus e que é oferecida a todas as pessoas. Viver essa “mensagem” (o perdão e nova vida em Cristo) é viver diante do amor de Deus. Um AMOR que faz a diferença no mundo. Amém.


Pastor Elton Americo
PEL Paz Coxim-MS

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

ESTAMOS DE VOLTA! - 2 Co 5.16-21

  Coxim - MS: Estamos iniciando mais um ano. Uma nova caminhada   nos aguarda nesse ano de 2014. Muitos serão os desafios, as oportunidades, as alegrias, as tristezas, as lutas. O caminho do cristão não feito apenas de momentos bons. A nossa caminhada é a caminhada da cruz. Mesmo que a nossa caminhada seja a cruz, algo é diferente, especial e único em nossa caminhada: JESUS!
Ele carregou a "CRUZ" mais pesada por nós. A cruz dos nossos pecados, trazendo para a nossa vida o perdão e o amor de Deus. Em JESUS nós somos reconciliados com o Pai, recebemos a Paz de Deus e somos feitos novas criaturas.
O apóstolo Paulo no texto de 2 Coríntios resume o que é ser nova criatura: "Viver conforme a vontade de Deus, esquecendo a nossa própria vontade". Somos novas criaturas perdoados, amados, reconciliados e vivendo diante da paz do Senhor. E o convite de Deus para esse novo ano é: "Vivam conforme a minha vontade". Viver conforme a vontade de Deus é buscar estar sempre perto dele, ouvir sua Palavra, receber as bênçãos que ele nos concede por meio dos sacramentos e do íntimo relacionamento com Ele.
Estamos de volta, nos reunindo como povo de Deus. O desafio para esse ano de 2014 é: "Viver conforme a a vontade de Deus". A força para conseguirmos Deus mesmo é quem irá nos dar. E ele já nos deu em Jesus o nosso Salvador. Amém.

Pastor Elton Americo
PEL Paz Coxim - MS

Casamento em Coxim - MS

Uniram-se em matrimônio no dia 01/02/2014, na CEL Paz de Coxim - MS os jovens Jackson Carlos de Souza e Katiele Ribeiro Bezerra. A cerimônia dirigida pelo Pastor Elton Americo teve como tema: "Completai a minha alegria", baseada no texto de Filipenses 2.2. Deus abençoe o jovem casal.

Pastor Elton Americo